Músculo Liso 2


Na última descrição sobre o tecido muscular mostramos que o músculo liso tem a mesma função do músculo esquelético, isto é, a contração, com as mesmas proteínas contrácteis principais: actina e miosina.

As fibras musculares lisas que compõem as paredes vasculares de pequenos vasos sanguíneos são pequenas, cerca de 20 ūm de comprimento. Essas células musculares lisas são revestidas por lâmina basal e unidas por uma rede delicada de fibras reticulares. As células musculares lisas dos vasos sanguíneos, portanto, são bem delimitadas e não formam um sincício, como as musculares estriadas cardíacas. Essas estruturas reticulares fazem parte do conjunto desse músculo para gerar força de contração que está, igualmente ao músculo esquelético, relacionada a entrada de íons cálcio no citoplasma.

Os miofilamentos das células musculares lisas estão orientados em todas as direções e se cruzam milhares de vezes formando uma trama tridimensional. Seus microfilamentos têm de 5 a 7 nm e os filamentos de miosina de 12 a 16 nm de espessura. Há ainda filamentos intermediários, que nos vasos sanguíneos são representados pela vimentina associada à desmina. As células musculares lisas possuem ainda corpos densos em duas localizações: no interior do citoplasma e próximo as membranas plasmáticas, são semelhantes as linhas Z dos sarcomêros dos músculos estriados.

Esses corpos são compostos de L-actinina onde os filamentos finos e intermediários se inserem de modo que a fibra inteira diminui de comprimento e paralelamente aumenta o seu diâmetro. É assim que ocorre a vasoconstricção, um fenômeno físico-químico! Menos glóbulos vermelhos passam e a pressão sanguínea aumenta.

As células musculares lisas desses vasos são ainda capazes de sintetizar colágeno tipo lll (fibras reticulares), proteoglicanas e fibras elásticas. Ao contrário dos músculos esquelético e cardíaco, as paredes vasculares, por possuírem fibras elásticas, contam com a propriedade elástica, fundamental para o bom funcionamento do aparelho circulatório!

Na semana que vem vamos continuar descrevendo outras particularidades do músculo liso, se Deus quiser.

Abraço!

Dr.Beny Schmidt